Na cova dos leões e na miras das hienas

18.07.2017

 

"Devido a sua heroica fidelidade a Deus, por duas vezes Daniel foi perseguido por idólatras e lançado numa cova de leões. Em ambas as ocasiões, por sua inabalável confiança no Altíssimo, saiu miraculosamente ileso". 

 

 

No inicio do ano, segundo a Prefeitura Municipal, a falência do atendimento da saúde obrigou o prefeito Darci Lermen a decretar "estado de emergência administrativa e financeira” na rede pública municipal por 120 dias, prazo que poderia ser estendido até 180 dias, caso comprovada a necessidade de prorrogação. 

 

Com esse decreto, se pretendia viabilizar uma série de procedimentos e normas na administração, por exemplo, a realização de contratos sem licitação, uma vez que a prioridade era resgatar a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos. 

 

Mas parece que a gestão na SEMSA continua com as velhas práticas e o resultado é que os usuários que procuram a rede pública de saúde estão encontrando as mesmas dificuldades de sempre.

 

Como se não bastasse, o problema se agravou mais ainda com o pedido de intervenção feita pelo Ministério Público na saúde do município, o que para alguns tornou a situação do secretário insustentável.

 

Quanto ao secretário, será que jogaram o moço na cova dos leões ou ele caiu por conta própria? 

 

Enquanto isso, algumas vereadoras hienas trabalham fortemente para que os leões devorem o secretário de vez, o que facilitaria suas indicações políticas na pasta, mas será que ele conseguirá, como Daniel,  sair da cova dos leões por duas vezes? 

 

Já nos bastidores políticos da gestão das oportunidades o que mais se comenta é sobre o isolamento político do secretário, uma vez que o moço realizou várias atividades, a última delas foi a inauguração da UBS do Rio Verde, mas não contou nem com a presença do prefeito e de nenhum secretario, nem mesmo de qualquer vereador da base aliada. Será o que houve? 

 

Parece ser fato que o secretario caiu no isolamento político, hoje os seus únicos aliados na gestão ainda são seus colegas plantonistas médicos. 

 

Vamos esperar até o fim do recesso para ver o que vai acontecer nos próximos capítulos da SEMSA.

 

Após seis meses de gestão à frente da secretaria de saúde do município de Parauapebas, o novo secretário tem colhido um descrédito político que poucos da atual administração amargam. Esse fato nos faz lembrar inclusive de uma passagem bíblica, será que o moço foi jogado na cova dos leões? 

 

Na cova dos leões? Na mira das hienas? Por que o secretário de saúde caiu no isolamento político do governo em apenas seis meses de gestão? 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload


Copyright © DilzzanNews -  Todos os direitos reservados.

E-mail: dilzzannews@gmail.com